Victor
Kingma
header
header
Facebook
Visitante nº: 61260
< Voltar

O futebol ou a pipa?

 

Causos da bola

Craque no cerol

Naquelas duas cidadezinhas do interior, a rivalidade era grande e as disputas entre os dois principais times monopolizavam toda a população. E naquele domingo não se falava em outra coisa, pois seria a final do campeonato.

De um lado, a defesa menos vazada, com destaque para o goleiro “Paredão”. Do outro, um ataque arrasador, com o artilheiro “Leo Cerol”, conhecido pela velocidade impressionante. O apelido vinha da paixão que tinha pelas pipas, seu hobby predileto.

Domingo de sol, enquanto a maior parte da garotada se juntava nos campos, era comum vê-lo correndo pelas pastagens atrás das pipas que cortava com o cerol que ele mesmo fabricava. Nada lhe dava mais prazer.

Para o grande jogo, um problemão: a final do futebol coincidia com um torneio de pipas, tradicional na cidade. Duro era convencer o nosso craque a jogar a  partida. E numa reunião da qual participaram até o prefeito e o vigário, conseguiu-se, enfim, que ele trocasse as pipas pelo jogo, tão importante para a comunidade.

Chega o grande dia e numa partida truncada, o empate por 0 x 0 se arrasta. “Leo Cerol” parece disperso, olhar perdido no horizonte. De repente, o zagueiro dá um chutão e a bola é toda da defesa adversária. Nosso craque inicia então um de seus piques alucinantes…

A torcida se levanta, os locutores se preparam para gritar gol. Leo Cerol passa como um raio pela intermediária, atravessa o campo como um foguete, toma a dianteira na corrida contra os zagueiros… Passa pela bola, atravessa a linha de fundo e…

Diante do olhar estarrecido de todos, pula o alambrado a tempo de chegar segundos na frente da garotada que corria atrás de uma imensa pipa colorida.

Do livro Causos da bola