Victor
Kingma
header
header
Facebook
Visitante nº: 61205
< Voltar

O CHEQUE VIAJANTE

 

Causos da bola

O chequechequedevolvido é uma das coisas que, popularmente, tem mais apelidos. Assim temos o cheque borracha, aquele que bate e volta, cheque peixe – que chega no caixa e… nada,   e até o  cheque capim, pois só quem aceita é burro.

Nesse texto vou contar a incrivel jornada de um time de várzea cuja hospedagem numa pousada foi paga com um novo tipo de cheque: o cheque viajante.

Na semana de decisão da liga Mantiqueirense, no interior de Minas, o presidente do Curral Velho Futebol Clube, resolveu concentrar sua equipe numa pousada, no balneário de Cachoeirinha, onde seria disputada a final.  Isso só foi possivel pois um deputado,  candidato à reeleição,   tinha prometido reservar e pagar a hospedagem dos jogadores,

Animados pela novidade, a delegação embarcou  eufórica, de trem, na véspera do jogo. Contudo, logo na chegada e ainda no hall de entrada da pequena hospedaria, surgiu um problemão: o político não havia pago a reserva e o dono  se negava a liberar as acomodações.

Diante do impasse que se formou e procurando acalmar os ânimos, já bastante exaltados, o cartola do Curral Velho propos um acordo ao  proprietário:

– Não é todo dia que sua pousada recebe tanta gente assim. Vamos fazer o seguinte: eu lhe dou um cheque para 30 dias, tempo suficiente para eu receber do deputado e fazer a cobertura no banco.  Fechado?

– Fechado!

Começava aí,  então,  a viagem do cheque:

O dono da pousada desabafa para sua mulher: – Pensando bem, este cheque até que veio em boa hora! Vou repassá-lo para o açougue que está ameaçando cortar o fornecimento de carne…

O dono do açougue:

– Nem acreditava mais que aquela pousada falida fosse me pagar! Vou repassar este cheque para o frigorífico que está ameaçando cortar o abastecimento…

O dono do frigorífico:

– Nem acredito! Este cheque chegou na hora certa! — Vou pagar os impostos na prefeitura, que está querendo cortar meu Alvará…

O Secretário de Finanças da Prefeitura:

– Bendito cheque! Vou propor ao prefeito que pague ao deputado, pois, depois que ele saiu do nosso partido, liga toda hora cobrando aquele antigo empréstimo que nos fez…

No gabinete do Deputado, na capital, este, ao saber do cheque:

– Dona Geni, pegue este cheque e mande para aquele matuto,  presidente daquele timinho lá do interior. Assim ele para de me cobrar aquela promessa de campanha que nem me lembro mais de ter feito…

Em Curral Velho, o  presidente do time, ao receber de volta o próprio cheque:

UAI, o cheque é o meu SÔ!!!  E o rasgou imediatamente.

Final da história: todos pagaram a todos e ninguém gastou nada.

 

Victor Kingma