Victor
Kingma
header
header
Facebook
Visitante nº: 61185
< Voltar

Honrado, mas apaixonado

Causos da bola

Honradomaisapaixonado

Almir Amarante, conhecido como Almirante, era um árbitro muito respeitado no interior mineiro. Justo e severo na aplicação das regras, vira e mexe era requisitado para apitar  partidas importantes.  Pesava contra a sua reputação apenas uma atuação muito suspeita numa recente decisão regional. Chegaram a falar que estaria comprado.   Naquele jogo polêmico marcou dois pênaltis inexistentes a favor do Tigre FC, o “Tigrão”, time  pelo qual, diziam, tinha uma paixão secreta e incontrolável.  Devido ao ocorrido, nunca mais apitou qualquer partida desse clube.

Na decisão daquele ano, uma autêntica guerra entre dois tradicionais rivais da região, e com o Tigrão fora, Almirante mais uma vez foi escalado para apitar a decisão.

Na véspera do jogo o austero árbitro recebe em sua casa a visita do poderoso cartola de um dos clubes, que, desconfiado da propalada honestidade do juiz, lhe oferece uma polpuda soma para facilitar o jogo para seu time.  Imediatamente ele o expulsa de casa e todos acabam na delegacia, onde o árbitro registrou queixa por tentativa de suborno. Frente a frente com o delegado, os dois tentam se explicar:

–   Este cartola desonesto tentou me subornar!  Exclama o árbitro.

–  Quem  é esse juiz para falar em honestidade,  seu delegado!  Todos aqui na cidade sabem que ele roubou descaradamente para o Tigrão naquela decisão, marcando dois pênaltis absurdos, defende- se o dirigente.

O delegado, que conhecia bem a fama de subornador do cartola e também a polêmica história dos pênaltis, tenta colocar panos quentes:

–  Não é melhor pros dois encerrar aqui mesmo esse assunto? Isso vai acabar em processo.  E todos vão ter que se explicar perante a lei. Por que não retira a queixa, seu Almirante?

–  Não retiro, seu delegado.  Vou até o fim, pois sofri uma tentativa de suborno.

–   E a história dos pênaltis?   O que vai dizer pro juiz lá no fórum?

–  Não sou homem de mentir, seu delegado!  Vou dizer a verdade. Que inventei aqueles pênaltis por amor ao Tigrão.  Fui traído pela paixão de torcedor.   Não recebi nada pelo que fiz. E, revoltado, concluí:

– Mas suborno, seu delegado, eu não admito. Sou um homem honrado!

Victor Kingma

Do livro  Dali o Joca Não Perde