Victor
Kingma
header
header
Facebook
Visitante nº: 61206
< Voltar

As primeiras bolas no país do futebol

Histórias do futebol

De  De voltCharles Millera ao Brasil em 1894, após uma década de estudos na Inglaterra, o paulistano do Brás, filho de pai escocês e mãe descendente de ingleses, Charles Miller, então com 20 anos, desembarcou do navio em Santos, no litoral paulista, trazendo duas bolas, uma agulha, dois uniformes e um sonho: montar um time de football (bola no pé) em seu país.Durante a sua temporada na Europa apaixonou-se por este jogo, tornando-se, inclusive, o melhor jogador do seu colégio. Há registro de que marcou 41 gols em 25 partidas no campeonato colegial.Entretanto, logo nos primeiros contatos com os amigos após o retorno, surpreendeu-se pelo fato do esporte ser totalmente desconhecido por aqui.

Dedicou-se então a divulga-lo, principalmente para os seus companheiros de trabalho na Companhia de Gás, do Banco de Londres e da Ferrovia São Paulo Railway.Organizada por Charles Miller, a primeira partida do agora “abrasileirado” futebol disputada no Brasil aconteceu em 1894, entre os funcionários da Companhia de Gás x Cia Ferroviária São Paulo Railway.

Os ferroviários venceram por 4 x 2. Miller atuou, mas não se sabe se marcou gol neste jogo.E o novo esporte, introduzido por Miller, começou a fazer grande sucesso entre os jovens da época.

O primeiro clube a adotar a prática do futebol no Brasil foi o São Paulo Athletic Clube, formado em sua maioria por britânicos residentes em São Paulo. Já o primeiro campeonato aconteceu em 1902. Charles Miller atuando como atacante do Athletic Clube, foi o artilheiro com 10 gols, em nove partidas.

Miller era um craque. Suas jogadas encantavam os torcedores e foi ele o primeiro jogador a dar um passe de calcanhar. Essa jogada, inclusive, recebeu o nome de “Charles” – mais tarde “Chaleira”, em sua homenagem. Jogou futebol até 1910 e após encerrar a carreira ainda atuou como árbitro.

Charles Miller morreu em 1953, aos 79 anos, coberto de glórias, mas, talvez, um pouco frustrado por não ter visto o Brasil ser campeão do mundo no esporte que ele introduziu no país, devido á trágica derrota para o Uruguai, em 1950.

Victor Kingma